sábado, 19 de dezembro de 2015

Eu e o sono, uma relação conturbada

Eu tenho uma relação de amor e ódio com o sono. Por um lado, eu gosto de dormir, é bom e necessário, não é legal ficar com sono e lutando para ficar acordado. Por outro lado eu não tenho muito sono a noite e gosto de ver o Sol nascer com uma xícara de café na mão.
Eu tenho insônia, eu sei, mas o caso é que entre as 10 e 10:30pm eu tenho sono, mas isso não é hora de dormir. Chegando por volta das 11h eu só tenho sono se estiver muito cansado. Se a tv estiver ligada já era, eu me interesso por qualquer porcaria e adeus sono. Se estiver trabalha do em algo interessante, pode ir dormir e levantar no outro dia que há uma grande chance de eu ainda estar ali.
Então tenho sono de manhã, mas de manhã não é hora de dormir, eu levanto as 5:30am.
Se está calor eu nem tenho muito sono de manhã também, quando o verão é estável eu durmo em média 5 horas por noite. É claro que tem os dias em que nada me tira da cama, quem não tem, mas há dias em que eu durmo menos de 3h.
Durante o inverno, quando é estável, eu tenho um pouco mais de sono, o clima frio me acalma. O problema são os dias muito cinzentos, não apenas nublados, aqueles doas em que a luz do Sol passa só o suficiente para te lembrar que não é noite. Não adianta ligar as luzes porque tem luz suficiente para neutralizá-las mas não o suficiente para estimular o correto funcionamento do corpo. Deve ter a ver com hormônios ou vitamina D. Lembrando que atualmente eu vivo em uma das cidades com menos dias de Sol do mundo.
Nesses dias, quando a noite chega eu desperto, porque aí finamente algo se regulariza (é noite e está escuro, como deve ser).
E há uns dias de outono e outros de primavera, em que tudo parece correr bem, nesses dias eu durmo pouco a noite, faço um cochilo depois do almoço e o meu dia corre perfeito.
Talvez esse seja o certo para mim, dormir duas vezes, assim eu aproveito tudo que gosto, a noite, o amanhecer, o sono necessário.
A algum tempo li que as pessoas na Europa dormiam duas vezes por noite em uma época. Elas dormiam por algumas horas, para descansar do trabalho e então acordavam para confraternizar, estudar, etc, então dormiam de novo para descansar para o trabalho do dia seguinte. Interessante não?!
As vezes eu penso que dormir é perda de tempo, mas aí eu lembro que tudo que sei sobre o sono e de tudo que já passei por causa da privação, além da armadilha que ele pode ser em alguns casos, especialmente para os deprimidos. Precisamos dormir, moderadamente e não menos que isso, mas para muitos de nós, é preciso primeiro descobrir como dormir e depois como implantar isso no cotidiano.
Isso tudo pode ter a ver com o fato de que eu sou meio workaholic e learnaholic (se não existia acabei de inventar). Eu sempre acho que falta tempo para ler tudo que eu quero, ver todos os documentários que eu quero, pesquisar tudo que eu quero, testar, amostrar, analisar, experimentar tudo que eu quero. Até cair de sono e ter que dormir de qualquer jeito.
E principalmente escrever, se eu tenho uma ideia na cabeça, eu preciso escrever, se não escrever eu não durmo.

Eu disse que era uma relação conturbada.

2 comentários :

Viviane Patricio disse...

Meus problemas de sono resumidos em um post, hahahaha... Tem épocas que eu pareço o Trevor Reznik (The Machinist - O Operário), meu recorde foram 3 noites inteiras sem dormir, aí lembrei desse cara, comecei a temer estar alucinando e fui tirar um cochilo, LOL.

Willyans Maciel disse...

I know your pain! LOL