segunda-feira, 24 de março de 2014

O estatuto do desarmamento não é uma lei, é um golpe.

Alguns dizem que eles só estão cumprindo a lei.
O estatuto do desarmamento não é uma lei, é um golpe.
É como se nas ultimas eleições o candidato com menos votos tivesse assumido no lugar do candidato com mais votos. Na verdade, é exatamente isso que aconteceu.

Até entendo a posição complicada em que a polícia está, mas eles são parte do mesmo povo que está a perder a liberdade e a vida por causa do desarmamento. E obedecer uma lei tirana é concordar com a tirania. se pensarmos que eles "deve cumprir a lei" a qualquer preço, teremos de eximir de culpa todos os soldados que agiram em favor de regimes tiranos.
Como diz um amigo meu, o problema não é a desobediência civil, mas a obediência civil a leis injustas. Permitimos que nos mandem para guerras, nos obriguem a matar em seu nome, pagar "aluguéis" sobre o que construimos com nosso trabalho, e aceitamos tudo isso. O governo pensa que somos servos, como nos tempos feudais, precisamos mostrar que esse país é nosso, não desses traidores. Nós, o povo, incluindo a polícia, precisamos nos levantar e reagir.

Entendo que o policial não possa ser um mártir, mas a corporação como um todo (não falo das "lideranças", porque essas podem ser compradas, mas dos policiais em geral) precisa se posicionar e  dar segurança para o policial individual cumprir seu dever, sem ajudar o governo a tomar a liberdade de todos nós. Até porque, quando termina o expediente o traficante não se vinga do governo, pela prisão de um dos seus, ele se vinga do policial. Policial este que logo estará tão indefeso quanto qualquer outro cidadão quando fora de serviço.

Nenhum comentário :