Páginas

quinta-feira, 9 de maio de 2013

O fim do MSN e o que isso significa para mim

O fim do MSN
O MSN acabou, já faz alguns dias. Acabou e os usuários podem migrar para o Skype.
Se você ainda não sabia dá uma olhada na notícia.
Eu usei o MSN por alguns bons anos, mas já fazia muito tempo que eu não tinha paciência para esse tipo de recurso, nem aquele bate-papo do Facebook eu deixo ativado.
A febre das mensagens instantâneas praticamente se extingui em mim depois da exaustão dos anos de 60 a 70 horas semanais de trabalho e mais a faculdade. Recentemente voltei a usar as mensagens  instantâneas no iPod, mas é uma experiência diferente pois o iPod está ali o tempo todo enquanto estou em casa ou no trabalho e eu acabo usando  como usava mensagens de texto antes disso. Eu não sento para conversar com alguém que por acaso esteja on line, eu falo com a pessoa e quando ela ler a mensagem ela responde, e falo quando tenho algo para falar.
Por volta de 2004 e 2005 eu usava o MSN todos os dias, ou melhor todas as noites, pois trabalhava em um hotel no período das 23h às 7h. Muitas vezes ficavamos sem ter o que fazer, afinal depois da auditoria, que acontecia entre a meia-noite e a 1h, só tinhamos de recepcionar os hóspedes que chegavam e atender os que já estavam ali, o que na verdade não era muita coisa. Então eu tenho história de muitas e muitas horas conversando no falecido MSN e no velho, mas ainda ativo, Orkut. Hoje em dia dá até vergonha falar que usava Orkut, mas era o que se tinha na época, e era bom, considerando os concorrentes. Também tinha o Myspace, que também sobrevive até hoje, no qual ainda sou registrado, embora acesse muito raramente, foi lá que consegui um contato maior com uma das minhas bandas favoritas o Altan Urag, antes de Twitter e Facebook.

Mas o MSN cumpriu um papel comunicativo e social muito forte na minha vida naquela época. Eu dormia durante o dia, trabalhava a noite, não tinha muitos amigos e minha única atividade social, fora do trabalho, era o treino de Muay Thai que fazia na época, que nem tinha muito de social pois eu era o mais jovem da turma e o povo não me dava muita atenção.
É sério, foi graças ao MSN que eu tive contato com outras pessoas, histórias, notícias e interesses. Era como eu me conectava com o mundo naquela época. Os contatos vinham sabe-se lá de onde e eu conhecia pessoas da minha cidade, que nunca vi e nunca veria, e pessoas do outro lado do mundo, que possivelmente também nunca veria. Lembro de ter uma amiga, daquelas de conversas malucas e animadas, só para passar o tempo, a Pandora. Moramos na mesma cidade, se não me engano em bairros vizinhos, frequentavamos o mesmo bar no Largo da Ordem (isso não conta como convívio social, um dia eu explico), o também falecido Aquarela Bar, mas nunca nos vimos pessoalmente.
Preciso dizer, e digo honestamente, o MSN foi, em seu tempo de glória, uma das coisas mais fascinantes da história da internet.
Quando comecei a trabalhar em uma faculdade no início de 2006, mantendo os dois empregos (sim eu virei um zumbi), usávamos o MSN para tudo. Cada profissional tinham um MSN da empresa e usávamos até para falar com a pessoa que estava na bancada da frente. Apesar de sermos proibidos de usar o MSN para assuntos pessoais alguns colegas adicionavam parentes e amigos no MSN da empresa e geravam situações engraçadas tentando disfarçar as conversas.
Quando mudei de setor a coisa ficou mais tranquila, ainda usávamos o MSN profissional, mas podíamos entrar, com comedimento, o MSN pessoal. Mesmo assim a maioria das minhas mensagens era com o amigo Alex, que depois de algum tempo veio parar no meu setor. A noite quando em casa tiravamos o atraso do MSN pessoal, as vezes conversavamos até as 3 da manhã entre uma partida e outra de jogos de tiro. Mas já era uma época difícil, ficar até depois da 1h acordado já tinha consequências graves no dia seguinte, então fui deixando cada vez mais.
O fim mesmo foi quando a empresa baniu o MSN, querendo adotar o Skype, para depois voltar ao MSN porque não foram capazes de planejar a ação de mudança. Aquela quebra de ritmo matou o MSN para mim, isso e as pessoas que tentaram fazer essa mudança a toque de caixa, aproveitando a ausência de um dos gestores. Não aguentava mais ver aquele povo online.
Então, meu MSN pessoal ficou só para algumas conversas com amigos e informações quando precisava falar com alguém e ligar ou mandar email não era uma opção.
Dá uma sensação ruim falar assim, parece que algo bom se perdeu. De certa forma é verdade, pois eu nunca tive círculos sociais muito grandes e o MSN, como já disse, me proveu um círculo social importante quando eu não tinha nenhum.
Mas além disso, o MSN em proveu algumas habilidades práticas. Melhorou minha digitação incrivelmente, eu tinha feito curso, mas só a prática constante desenvolve, e também o meu inglês, me possibilitando falar com gente de muitos lugares distantes. Também foi ótimo para minha timidez, principalmente para falar com estrangeiros, coisa que o trabalho no hotel também ajudou, e que foi de grande valia no meu trabalho e formação acadêmica em geral.
Para mim, o MSN é como aquele velho amigo, com o qual você já não conversa a algum tempo, nem tem muito o que conversar, mas respeita e gosta mesmo assim.
O fim do MSN tem um significado grande para mim, e sinto até um pouco de pena, mas entendo que essa ferramenta cumpriu seu papel e agora entra para a história como mais uma ferramenta que foi muito popular em sua época, o melhor recurso do tipo em sua época. E pelo respeito que tenho pelo MSN, coloco este post com o marcador Obiturário.

2 comentários :

Viviane Patricio disse...

Hahahhaahah... eu lembro de passar as madrugas no msn, ir pra aula (ou não, LOL... msn real é mais diver) e dormir depois do almoço, vendo um filminho de guerra ou terror pra relaxar. Naquela época era mais fácil achar pessoas com interesses em comum, digo, interesses que saíssem da rodinha convencional. Era a reunião dos alunos do fundão, do grupo de teatro, dos músicos, dos escritores, dos bloggers. Acho que foi uma extinção pensada justamente nisso um pouco, porque não consumíamos conhecimento, discutíamos. E, como eu digo, entre gente louca você não tem medo Oo'

Willyans Maciel disse...

Pensada paanisso ou não, o fato é que o mundo virtual mudou. A perda é grande, mas eu não comsigo ver o msn se encaixando na internet de hoje. Mesmo algumas pessoas comparando o WhatsApp com o msn, é outra coisa. Acho que o descendente cultural mais viável é o Facebook, por sua informalidade, mas ainda assim, é bem diferente. A internet deixou de ser o "mundo virtual" e virou uma parte da realidade, como aquele conceito de realidade aumentada.