Páginas

domingo, 10 de março de 2013

Memórias da minha primeira corrida de rua - Parte 3 de 3

Se você chegou agora de uma olhada nas Memórias da minha primeira corrida de rua - parte 1 e na parte 2 também.
Então foi dada a largada. A saída foi bem mais calma do que eu esperava, ninguém se empurrava muito, nem tentava passar a frente, correndo apenas após passar pelo rapete que protege os sensores que ativam o chip que controla o tempo e ritmo de corrida.
logo de saída o amigo Ebraim me pisa em uma poça de água e joga lama em todo mundo, mas apesar das caras feias ninguém o esbofeteou. Até porque já estávamos molhados mesmo.
Fomos correndo de vagar, no ritmo do pessoal, mas eu comecei a sentir que estava "matando" meu ritmo e que naquela velocidade eu gastaria minha energia em poucos quilômetros, meses depois descobri que isso acontecia pela forma como eu dava as passadas ao correr devagar (meio pulando), que mudava quando acelerava um pouco, por causa da inclinação do corpo.
Avisei o Ebraim que eu iria acelerar um pouco, ele já sabia dessa minha dificuldade, pulei para a calçada e abri caminho para os pelotões da frente.
Ao virar a esquina começava ima descida e pude ver os primeiros corredores já na base da descida avançando tranquilamente. Cheguei a acreditar na possibilidade de alcança-los.
Nesse momento decidi que tentaria avançar ultrapassando sem nunca ser ultrapassado, método que uso até hoje, mas de forma mais sensata. E avancei usando a gravidade ao meu favor na descida, ultrapassei umas 50 a 100 pessoas.
Percurso da corrida
Mapa do percurso da corrida do centenário do Coritiba FC
Eu corri um monte, descida e terreno plano, mas então chegou a primeira subida íngreme. E era bem íngreme. Lembrei do marido de uma prima, que correu a São Silvestre quando eu tinha uns seis anos. Ele dizia para manter o ritmo e não pensar na subida, e olhar para o topo ignorando a inclinação. Eu fiz isso, exceto a parte de olhar para o topo, pois dava a impressão de que eu ia cair para trás, o cansaço já dava as caras. Além disso se olhasse para cima respirava água da chuva.
Ao chegar no topo da subida me distrai um pouco, contente por chegar lá em cima, e pisei em uma poça de água, com o desequilíbrio respirei errado e entrou água da chuva no meu nariz, que já não estava muito bom devido a rinite.
Eu quase parei.
Mas eu sou teimoso e tomei a decisão de não caminhar nem parar. Decisão que mantenho até hoje. Exceto para amarrar o tênis é claro. O tênis antigo desamarrava muito, nem era um tênis próprio para correr, era um tênis de caminhada de camurça eu acho, que ficou em sopa com a chuva e poças.
Eu me arrastei por uns 2km depois daquela subida, que era perto do quinto km. Isso me deixou feliz, pois para um principiante fiz os primeiros 5km muito rápido.
Os seguintes não foram tão fáceis. Após não ver a placa do quilometro 7 eu quase fiz um pausa, pois achei que estava tão sem forças a ponto de demorar o dobro para correr um quilometro. 10km pode parecer pouco, mas quem está iniciando, ou está parado a muito tempo, não sabe como organizar o uso da energia e controlar o tempo.
Centenário do Coritiba Corrida
Quase chegada
A chegada na volta olímpica foi um momento glorioso, tirei forças sabe-se lá de onde para ultrapassar uns 20 corredores dos mais de 100 que me ultrapassaram entre o quinto e o sétimo quilometro.
Pegar a medalha então, após um rápido alongamento, foi quase como vencer a prova. E de fato venci, todos vencemos... vencemos nosso tempo anterior, o comodismo, sedentarismo. Essas são batalhas que vencemos toda vez que nos levantamos e vamos treinar ou competir. Seja em qual esporte ou atividade física.
O Ebraim chegou uns 15 minutos depois e tive a impressão de que demorou umas duas horas, pois estava querendo comentar a experiência e falar da medalha.
Antes das nove horas estávamos em casa, tomando um café da manhã, sem ovo dessa vez.
Não vencemos a prova, mas corremos e adquirimos esse hábito que mantemos até hoje, mesmo que as vezes em menor medida, sem participar de muitas competições
Eu recomendo a todos que querem um esporte divertido e barato a começar com a corrida. É saudável, usa o corpo todo, o pessoal é bem legal e as competições tem preços bem acessíveis. Atualmente é possível inclusive correr em diversas cidades e se manter atualizado sobre os circuitos por sites como webrun.com.br e focoradical.com.br

Posso ter deixado passar algum detalhe, faz tempo, mas o princípal está aí, registrado para a posteridade. LOL.

Nenhum comentário :