terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Porque o MMA não é o fim do boxe


Muita gente diz que o MMA vai superar o boxe em termos de show e popularidade. Eu não acho, o boxe é muito popular no mundo e tem um apelo diferente do MMA, eu acho que os dois esportes vão coexistir.
O boxe está mais próximo da ideia de duelo, dois homens com armas equivalentes se enfrentam sob regras especificas focadas na honra e clareza do duelo.
O MMA é mais, dois caras fazendo tudo quanto possível para vencer, usando todas as armas disponíveis e todos os recursos.
Talvez essas descrições não sejam precisas e existam exceções, mas o que quero enfatizar é que são dois apelos diferentes, tem gente que gosta de um, tem gente que gosta de outro, tem gente que gosta dos dois e tem gente que não gosta de nenhum. Essas afirmações de que o surgimento do MMA vai fazer sumir o Boxe são baseadas em um entendimento simplista demais do gosto das pessoas.
Ora, eu gosto de basketball e de rugby, dois esportes com bola. Quando comecei a gostar de tênis e acompanhar os jogos não abandonei os outros dois. Com o Rugby se tornando popular no Brasil o futebol não perdeu espaço. Embora sejam dois esportes com bola são esportes diferentes, acontecem em dias e horários diferentes, com estruturas diferentes. Então porque as pessoas não podem continuar assistindo MMA na sexta e Boxe no sábado, e talvez TaeKwondo ou Judô no domingo? Só porque são todos lutas? Mas rugby, basketball, volei, tenis e futebol são esportes com bola e nem por isso a ascensão de qualquer um deles significou a queda do outro, as pessoas assistem do mesmo jeito.
Eu gosto de ver lutas de boxe, pelo fato de que os lutadores só podem bater com as mãos, mas podem usar o corpo todo como apoio, isso parece revestir o esporte de uma característica duelística, é como ver os duelos nos filmes antigos, submeter os dois lados a regras restritivas para ver qual deles sai vitorioso naquelas condições, me lembra o jeito italiano de esgrimir. Quando treino boxe eu sempre imagino os golpes em câmera lenta, eles convertem-se em belos movimentos, um hook na cabeça bem aplicado é como um gol de bicicleta no futebol, é, em geral, limpo, nítido, claro e evidente, e impressionante. É fantástico como em regras tão rigorosas e restritivas os atletas conseguem desenvolver tanta versatilidade e dinamismo, e como saem de enrascadas de maneiras criativas sem extrapolar as limitações das regras. Quem não ficou admirado com o poder do até recentemente controverso Phantom Punch de Muhammad Ali, retratado na belissima foto, de mesmo título.
E os hooks destruidores de Rocky Marciano. E para falar dos recentes, afinal estou falando que o boxe ainda está bem vivo, os ataques fulminantes e calmos de Pacquiao, ou o outboxing de Takeshi Uchiiama.
Mas eu gosto de MMA também, ora eu pratico Combat Sambo, em que vale até cabeçada, seria estranho se eu não gostasse de MMA. O fato de se poder aplicar quase tudo o que se poderia aplicar em uma briga de rua me atrai. É fantástico ver os atletas sairem de enrascadas usando mecanismos e estratégias inesperadas, as vezes você até se pergunta "esse movimento é legal nesse campeonato?". Quem não lembra do Fedor Emilianenko aplicando um armbar no Hong-Man Choi (ao lado)? Foi sensacional. O Fedor baixinho perto do gigante, alguns dizem que o Hong-Man Choi não estava preparado para o Fedor, que não é um bom lutador, não importa, estou falando do show, do evento, da surpresa. Hong-Man Choi é um gigante, com um super preparo físico, Fedor ficou pendurado no braço dele ao aplicar o armbar, é isso que estou chamando de sensacional.
As vezes o boxe tem umas lutas chatas, enroladas, amarradas, cheias de clinchs que não fazem parte da estratégia, mas o MMA também tem esse tipo de luta, as vezes os atletas caem e ficam procurando uma entrada, ou tentando forçar uma e se enrolam por minutos intermináveis. Mas isto não é um defeito deles, no Judô também acontece, alias até com mais frequência por ser luta agarrada.
Mas também há lutas impressionantes, lutas que acabam em alguns segundos e lutas que duram todos os rounds, lutas que acabam por decisão e lutas que acabam por knockout no último segundo do último round. Mas é sempre diferente. Um knockout no primeiro round no boxe é muito diferente de um knockout no primeiro round do MMA, a posição da câmera é diferente, a atitude dos lutadores é diferente, a reação dos locutores, dos fãs, tudo é diferente. E é por isso que eu gosto de ver os dois. É por isso que eu acho que para o MMA ter sucesso, o boxe não precisa, e não deve desaparecer.

Aproveitando, hoje é aniversário do grande Cassius Clay (aka Muhammad Ali). 70 anos. Parabéns Campeão.
"I gonna show you how great I am"

Willyans V. have wrestled with an alligator.

Um comentário :

Willyans Maciel disse...

Preciso acrescentar que estou falando do show, dos eventos e dos atletas. Não estou falando de eficiência marcial em nenhum momento.