quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Combat Sambo

Um pequeno resumo:
Sambo é uma arte marcial híbrida sistematizada em 1938 na Russia, para fins militares. Hoje conta com duas formas esportivas (Combat Sambo e Sport Sambo). Seu praticante mais conhecido é Fedor Emilianenko. Entre os praticantes ilustres encontrasse também Vladimir Putin.
O sambo foi trazido ao Brasil graças ao trabalho de Carlos "Jimmy" Maia e Marcelo Capano, hoje membros dirigentes da Confederação Brasileira Amadora de Sambo (CBAS). É considerada uma luta amadora devido ao uso de equipamentos de proteção.
O Club Khishigten/WCombatSambo, através do treinador Willyans que é até o momento o único certificado Técnico/Instrutor de Sambo (Sport e Combat) no Paraná, trabalha fortemente em sua divulgação, tanto na capital quanto no interior.

Breve história do Sambo
Sambo militar
Sambo Especial/Combatives
O Sambo é uma arte marcial hibrida de origem russa, que já existia muito antes de artes marciais mistas (MMA). Incorpora quase todos os movimentos que se possa imaginar e técnicas em todas as distâncias de combate, punhos, cotovelos, joelhos, pernas e quedas, projeções, raspagens, estrangulamentos, chaves e toda sorte de submissões. Sambo (em sua versão esportiva) é uma das quatro principais formas de wrestling amador competitivo praticadas hoje, e reconhecidas pela FILA, os outros três sendo luta greco-romana, estilo livre de luta e judô, e é governado mundialmente pela FIAS e no Brasil pela CBAS, Confederação Brasileira Amadora de Sambo.
A palavra Sambo é o acrônimo russo para "САМозащита Без Оружия" CAMBO, ou "SAMozashchita Bez Oruzhiya" SAMBO, significando autoproteção sem armas, ou defesa pessoal desarmada, em uma tradução mais livre.
O Sambo nasceu da necessidade de aparelhar com técnicas de combate corpo-a-corpo as forças armadas soviéticas. Equipes de especialistas, concentrados no clube militar Dinamo, surgiram para melhorar o sistema de combate, baseados em viagens aos países de origem de artes marciais consideradas eficiêntes e em conhecimentos prévios de militares que estiveram nesses países, bem como as lutas da própria Russia. Entre as regiões pesquisadas temos Japão, China, vários países da Europa e Mongólia para integrá-los em um único sistema com uma mistura de um total aproximado de 25 diferentes lutas das repúblicas soviéticas e da estepe russa. Alguns dos sistemas de combate regional incluiam Tuvan khuresh, o mongol khapsagai e bökh, Chuvash akatuy, o chidaoba georgiano, o Kurash kokh armênio e usbeque. O resultado das pesquisas foi uma seleção das melhores técnicas de disciplinas como Judô, JuJutsu, karatê, Boxe inglês, Boxe francês (Savate), Muay Thai e diversos tipos de kung fu/wushu que se fundiram com as lutas nativas e também técnicas de esportes olímpicos como o wrestling, sempre testando essas disciplinas com base nos conhecimentos de anatomia e dinâmica corporal, o que fez surgir golpes e técnicas especificas de sambo.
Mas o sambo não surgiu assim tão linearmente, como pode parecer à principio, duas variantes principais iniciaram o desenvolvimento do sambo e depois foram unificadas em um único sistema, e portanto disputam o título de fonte do sambo.


"O Sambô originou-se da junção de técnicas de autodefesa criadas ao mesmo tempo, porém independentemente, por Vasili Oshchepkov (1892-1937) e Viktor Spiridonov (1881-1943), técnicas estas com o mesmo nome (Sambo) porém com estilos diferentes. O estilo proposto por Spiridonov, um notório pesquisador de lutas, possuía raízes na luta Greco-Romana, lutas eslavas, Aiki-jiu-jitsu japonês e diversas lutas chinesas. Spiridonov foi o primeiro a desenvolver técnicas relacionadas ao Sambô.
A influência Oshchepkov eram os Aiki-jiujitsu Tenjin Shin’yo Ryu e Kito Ryu além do judo. O estilo proposto por Oshchepkov  é o que mais se assemelha ao Sambo atual. Oshchepkov foi executado em 1937, durante o sistema de expurgos políticos promovidos pelo regime de Stalin.
Anatoly Kharlampiev (1906-1979), aluno de Oshchepkov, aprimorou o estilo proposto pelo mestre, compilando ainda as técnicas de Spiridinov. Foi também o responsável pelo reconhecimento da arte marcial junto ao comitê de esportes da URSS. Por suas contribuições técnicas e políticas, é reconhecido, por vezes, como criador do Sambo contemporâneo.
Entretanto, não há um consenso universal sobre a existência de um criador único do Sambô." site da CBAS

Divulgação e introdução no Brasil
Sambo Brasil
Jimmy Maia com Fedor em 2008
Sambo é o esporte nacional russo com mais de 500.000 profissionais e está ganhando popularidade hoje por causa do colapso da antiga União Soviética, que levou à perda do sigilo que impedia a divulgação, com penas de morte ou prisão. E pela saida de praticantes que viajaram pelo mundo, buscando demonstrar sua superioridade sobre outros sistemas de combate desde o seu início quando um grupo de alunos de um dos seus criadores, Spiridonov, venceu a equipe alemã do judô em 1928 (quando o sambo ainda estava se desenvolvendo) ou quando Boris Mishenko derrotou Isoo Okano em 1964 na mais alta instituição do Judô, o Kodokan Institute, ou mais recentemente pelo excelente desempenho dos atletas, como Andrei Arlovski ou Tartarov Oleg em torneios como o UFC, ou ainda Fedor Emelianenko campeão mundial se sambo e do campeonato de MMA Pride, que por muito tempo bateu os melhores representantes de disciplinas como Muay Thai, jiu jitsu brasileiro ou Vale-tudo, atualmente Fedor está aposentado, mas dominou o MMA por quase uma década, especialmente em lutas de ringue, ele nunca se deu bem com jaulas. Originalmente o sambo foi utilizado como sistema de combate do Exército Vermelho e da polícia secreta e depois de unidades de elite como o Spetsnaz, também é atualmente utilizada como defesa pessoal e controle de multidões, os corpos policiais, funcionários de hospitais psiquiátricos, oficiais militares, e funcionários de prisões, guarda-costas e o pessoal de segurança privada.
No Brasil o Sambo foi introduzido e divulgado por Jimmy Maia, atual presidente da CBAS, e Marcelo Capano, Secretário da CBAS. A CBAS, Confederação Brasileira Amadora de Sambo, é reconhecida e apoiada pela FIAS, que é o orgão mundial regulador do sambo. Jimmy e Capano estão baseados no Rio de Janeiro e anualmente ministram cursos de qualificação de instrutores, para pessoas que já sejam instrutores em outras artes marciais. Para pessoas com menor conhecimento em artes marciais, ou mesmo nenhum conhecimento, ou que não desejem ser técnicos/instrutores, basta entrar em contato com a CBAS para verificar se há um instrutor próximo a você.

Tipos de Sambo
Sparring é fundamental em Sambo
"Embora tenha sido concebido como um sistema único, existem quatro versões de Sambô.
§  Sambô esportivo: em termos de estilo, seria, a grosso modo, uma junção da Luta Livre e o Judo. A competição é semelhante a luta japonesa, com algumas diferenças em relação às regras, protocolo e uniforme. Por exemplo, permite todas as chaves de perna.
§  Sambô auto-defensivo: similar ao Jiu-jitsu e o Aikido, utilizado na defesa contra agressão armada ou desarmada.
§  Sambô de combate: Utilizado e desenvolvido pelos militares. É a raiz do Sambô. Inclui formas de combate completas, incluindo chutes e socos. Embora tenha um caráter mais agressivo e sujeito a contusões, existem competições nesta versão.
§  Sambo especial: desenvolvido para as Forças Especiais do Exército e Forças de Reação Rápida. O estilo nesta versão diferencia de acordo com as tarefas e objetivos. Seria, em tese, um complemento ao Sambô de combate.
A American Sambo Association (ASA) pretende introduzir o Freestyle Sambo, que seria o Sambo esportivo com mais golpes de imobilização. Socos não são permitidos no Freestyle sambô." Site da CBAS


Fearful leglocks
Eu acrescento que o Combat Sambo possui ainda golpes desenvolvidos especialmente para ele e golpes com qualquer parte do corpo em qualquer parte do corpo. O Sambo Especial inclui a prática com armas e técnicas de desarmamento, defesa com armas não-letais, algemas, cassetetes, etc.
O Sambo como arte marcial completa e não apenas como esporte inclui todas as versões, um praticante dedicado a aprender o Sambo como arte marcial deve dominar todos estes aspectos. Isto porque nenhuma técnica de sambo é ineficiente para defesa sendo exclusiva para campeonatos, como acontece em outras artes marciais, o que acontece é que o sambo auto-defensivo pode se ocupar mais das técnicas para situações mais comuns de defesa pessoal, mas precisamos lembrar que é impossível prever exatamente o que acontecerá em uma situação de perigo real, por isso todas as técnicas são importantes, desde socos e desarmes até chaves de pé, perna e técnicas de palma contra a região do baixo ventre.
É claro que uma pessoa que deseja ser apenas um atleta de uma versão do sambo pode praticar apenas as técnicas requisitadas em sua modalidade, mas esta é uma escolha pessoal e não uma deficiência do sambo.

Uniforme
Equipamento
Um praticante de Sambo normalmente veste uma jaqueta semelhante a um kimono, porém mais justa e com abas sobre os ombros, de cor vermelha ou azul - pode-se usar qualquer cor nos treinos, mas estas são as cores oficiais- chamado kurtka-, uma faixa - há suportes na kurtka para que a faixa não escape com facilidade abrindo a kurtka-, shorts da mesma cor da kurtka e sambovki/borconki - botas de luta semelhantes as do wrestling-. Além disso para a prática de Combat Sambo são necessários luvas de MMA, capacete, protetor bucal, coquilha e caneleiras, pois nessa modalidade é permitido golpes contundentes, inclusive cabeçadas. GNP is the law! É preciso acrescentar que a kurtka é pensada para simular qualquer tipo de roupa, como jaquetas, regatas, uniformes militares ou camisas. Em treinos, iniciantes costumam treinar sem kutka até comprarem as suas ou mesmo com kimonos. No Brasil, é possível comprar através da CBAS, importar de sites europeus ou pedir a um fabricante de kimonos que confeccione, tenho uma muito boa, feita pela Kimonos Yama.

Quer saber mais? Veja algumas recomendações de livros abaixo

Nenhum comentário :