Páginas

terça-feira, 9 de março de 2010

1ª OFICINA DE HOK CHUAN E LIN WAN KWAN

Kung fuO Instituto Fu Hok de Cultura Chinesa (Curitiba/PR) promoverá no dia 28 de março de 2010, um domingo, a primeira oficina de aprimoramento das técnicas básicas de garça e bastão do estilo Fei Hok Phai (Família da garça em vôo).
O punho da garça (Hok Chuan) é uma técnica que simula os movimentos deste gracioso animal para ataque e defesa, utilizando as mãos em formato de bico/cabeça e asas de garças, bem como chutes com saltos, que simulam o vôo da garça. Tal qual a garça os movimento dessa técnica atacam pontos sensíveis do corpo, como os olhos e a têmpora e defendem desviando a rota do golpe, sempre com um imediato contra-ataque. Os chutes são precisos e letais em pontos como costelas e genital, sendo os chutes frontais do tipo Tan tui.
O bastão corrente (Lin Wan Kwan) é uma técnica do estilo Hung Gar, um dos estilos que compõe a arte da Família Fei Hok, utilizando o bastão médio (altura da sobrancelha do usuário) ataca pontos sensíveis e também partes duras do corpo, utilizando-se da transmissão da energia através dessas partes para causar dano, na defesa utiliza-se de bloqueio com rápido contra-ataque, inversão do bastão, e algumas esquivas.
Pelos motivos supracitados os Katis Hok Chuan e Lin Wan Kwan foram introduzidos pelo Grão-Mestre Chiu Ping Lok como movimentos fundamentais do Fei Hok Phai, seu treino e estudo capacitam o discípulo à defesa contra agressores mais fortes, bem como defesa com armas curtas e médias, bem como conhecimento e ciência da estrutura do estilo e sua história.

E eis ai algo muito importante a se falar: Katis (seqüências de movimentos marciais) não são danças, ao contrário da idéia popularmente difundida, o objetivo do kati não é aprender a sequência de movimentos para realizar apresentações, é aprender e aperfeiçoar as técnicas contidas naquela sequência, o professor ou mestre instrui o aluno sobre a utilidade de cada movimento em um segundo passo, sendo o primeiro realmente destinado a assimilar a sequência dos movimentos, mas não por ela mesma, pela finalidade que se tem em mente. Também é preciso considerar que nem todo kati tem um fundamento prático de defesa, por excelência, muitos katis são praticados para desenvolver a resistência dos tendões, músculos e articulações, melhorar a coordenação motora, entre outros fatores. Mas isto já é outro post, tentarei me ater a essa oficina.

O ministrante será o Mestre Jair Lima, da Associação Lin Ma (Cavalo selvagem) de Joinville, atual responsável pela família Fei Hok no Brasil, e realizado na unidade Água Verde do Instituto Fu Hok de Cultura Chinesa, que tem em sua liderança o Mestre Lira, conforme endereço abaixo:

Academia Backstage
Rua Guido Straube, 52-b
Água Verde
Próximo a Faculdade Spei.

Público alvo: discípulos, alunos, instrutores, professores e mestres que já possuam conhecimento prévio das rotinas em questão e desejem aprimorar suas técnicas e fundamentos teóricos e práticos

Nenhum comentário :